6/30/2013

Just Like a Dream Cap 62 - Jerneslo ~Maratona




Comentário essencial: olááá, então, eu consegui escrever o número de caps certinho... Tudo bem que eu dei pausa para tomar banho e brisar pelo meu quarto, mas eu consegui... Então, aproveitem :)

Elo’s POV

Sabe aquela sensação de nunca mais querer sair da cama...? Aquela sensação de gripe com TPM e cólica. Eu estou sentindo tudo isso de uma vez. Me sinto um caco de vidro [N/Juuh: CACO DE VIDRO, CACO DE VIDRO ~lê musiquinha do Rob]. A questão é que eu não entendo o motivo de disso tudo... Por que ele quis dar um tempo? Por que assim do nada? E por que eu estou tão mal que não saiu da minha casa há semanas? Tipo... Foi só mais um namoro na minha vida, não foi? Foi só mais alguém por quem me apaixonei. Ou não.
“Você se apaixona uma única vez na vida” é isso que sempre escutamos, certo? E é realmente verdade? Digo, a vida é tão curta assim para nos apaixonarmos apenas uma vez? Será, que por mais estranho que seja, Liam fosse minha “paixão da vida”?
Eu e Liam nos vimos várias vezes essas semanas, quando ele vinha com os meninos, mas não trocávamos nada além de um “oi” seco e rápido. Isso definitivamente me perturbava. Saber que não poderia vê-lo e correr para dar-lhe um abraço ou um beijo de verdade.
Ele tentou conversar comigo, mas saiu em briga.
“Oi”
“Oi, Liam”
“Olha, Lo, não podemos ficar assim para sempre. Vamos conversar, eu pedi um tempo, mas nunca pedi para parar de ser seu amigo”
“Depois do que você me disse você com certeza pediu” retruquei nervosa “e você não pediu um tempo! Você terminou comigo”
“Errado. Eu pedi um tempo. Tempo para pensar! P.a.r.a.d.e.s.e.r.d.i.f.i.c.i.l.”
“AH, Por que tem que ser tão chato?”
“Eu? Chato? A única chata aqui é você!”
“Talvez eu não fosse chata se meu ex-namorado fizesse mais coisas que eu gostasse”
“Mas o que isso tem haver? Hunf, você já está começando a ficar insuportável”
“Ok, Liam. Se antes não tínhamos terminado, agora terminamos! Por que EU estou acabando com tudo isso”
“Não! EU estou!”
“Ta”
“Ta”
“Ta”
“Ta”
Traduzindo: eu estou péssima.

Juuh’s POV.

- Senta e rola! Geleia senta! – fazia sinal com meu dedo para ele me obedecer.
O cachorrinho (que não era mais tão pequeno assim) abaixou as orelhas e deixou a cabeça cair para o lado, me olhando duvidosamente.
- Senta! Geleia, não me olha assim! Geleia! Senta! – continuou me encarando (DE PÉ) com a sua carinha de pamonha – Assim, ó! – me sentei no tapete de frente a ele, para minha surpresa, sentou – Isso! Bom garoto! – acariciei sua cabeça – Agora, deita e rola – e de novo me encarou com aquela cara apamonhada. Num acredito que vou ter que deitar e rolar pelo chão – Ah, qual é? Ta me fazendo de boba, cachorro? Vou ter que começar a rolar pelo chão?
- Não, não faça isso! – quase pulei pra trás com a voz de Niall.
- Meu Deus do céu. Quer me matar do coração, Horan? – ele riu – Ri não.
- Foi mau... A porta estava aberta... Aí eu entrei e encontrei um louca falando com seu cachorro.
- Eu não sou louca – dois segundos após eu dizer isso Geleia latiu.
- Não é isso o que ele acha – não pude deixar de rir.
Me levantei e dei um beijo rápido em Niall, me jogando no sofá em seguida. Meu loiro foi até a cozinha e voltou com um salgadinho na mão. Folgado? Visssh, magina.
- Então, vai me responder o por que de eu quase te pegar rolando no chão por causa de um cachorro?
- Eu estava ensinando o Geleia algumas técnicas.
- Como rolar no chão?
- É – ele riu – Qual a graça criatura?
- Nenhuma! – ele continuou rindo, me contagiando em seguida – Você vai na festa da Els amanha?
- Lógico que eu vou... É a Els... – ele riu.
- E daí que é a Els?
- E daí que a Els é o ser mais perfeito de toda a via láctea!
- Oxe, ta esquecendo dessa belezinha aqui! – ele disse apontando pra ele mesmo – Eu sou perfeito querida. Chuchu beleza! – coloquei minhas mãos em seus ombros.
- Niall querido, só o fato de você falar “chuchu beleza” te torna menos perfeito do que é! – ele abriu a boca pra protestar, mas acabou, por fim, concordando comigo.
Ficamos ali vendo TV uma meia hora. Passamos todos os canais compulsivamente, já que nada de interessante passava naquelas coisas. Acabamos parando em no filme “As Vantagens de ser Invisível” e antes que pudéssemos continuar nossa querida e interessante história um resmungo veio da escada.
- O que é isso?
- Eloisa! – falei virando os olhos. Dito e feito, lá estava ela, já parada nos primeiros degraus me olhando com uma cara de peixe morto. Ele usava um pijama azul-marinho-com-mini-bigodes-cor-de-rosa – Viu? – ela deu outra resmungada e limpou o nariz com a manga da blusa do pijama. Niall franziu o cenho.
- Elo, você ta horrível! – disse a anta burra do meu lado.
- Eu sei – ela respondeu friamente enquanto tentava desembaraçar os cabelos de um jeito inútil.
- O que aconteceu? – e novamente a anta burra do meu lado perguntou. Os olhos de Elo estavam visivelmente inchados, e conforme iam ficando vermelhos, tive a impressão de que ela iria começar a chorar de novo.
- Pergunta pro seu amigo – ela respondeu mais grossa do que nunca – Foi ele que pegou meu coração e triturou feito gelo! – ela disse com a voz chorosa e sentou no outro sofá, pegando Geleia no colo.
- Espera... – Niall pareceu tão surpreso quanto eu ao descobrir o termino do namoro – Elo, isso tudo é pro Liam ainda? Faz quase quatro semanas que vocês terminaram – Lo soltou um breve “Hum” em resposta.
- Pense pelo lado positivo – me arrisquei a fazer uma piada – Pelo menos você livrou Liam de ter um filho chamado Jerneslo! – sorri positivamente e ela deu de ombros.
- Tanto faz – bufou e abraçou os próprios braços – Ai que frio dos infernos.
- Que frase estranha... – comentei - Frio... Dos infernos.... Inferno.... Calor...
- Hum, verdade – concordou Niall – Podemos dizer que ela é um tanto quanto bipolar – ele completou me fazendo rir feito idiota, até a Elo riu.
Continuamos a conversar um bom tempo, até fizemos a Elo rir. Só que depois ela disse que ia sair, então subiu e quando desceu novamente estava mais apresentável. Se despediu e saiu pelas portas de um jeito decisivo.
Passou mais algum tempo e o Niall foi embora para poder se arrumar pra festa da El e Lo ainda não tinha chegado. Decidi ligar pra ela (que tinha acabado de comprar um celular novo [N/Elo: vamos fingir que é um iPhone e não um Nextel barato]) e antes que eu pudesse completar a ligação, ouvi a tranca da porta ser aberta e minha ruivinha aparecer com o rosto tampado pelo capuz, provavelmente por causa da chuva.
- Até que fim Elo, aonde você est... – minha fala foi interrompida assim que minha amiga tirou a toca – Elo...?
Minha boca se abriu e ela sorriu envergonhada, porém feliz, ela não fez isso... Fez?




Nenhum comentário:

Postar um comentário