10/21/2013

Breakaway Cap 1- Defeito de fábrica



Londres, 1888


“Não consigo viver sem trabalho cerebral. Para que mais vale a pena viver? Fique aqui ao lado da janela. Já reparou em como este mundo é melancólico, sombrio e inútil? Veja como a neblina amarelada desce para as ruas e envolve as casas de cores mortas. O que poderia ser mais desesperadamente prosaico e material? Doutor, qual é a utilidade de se ter uma habilidade quando não se tem campo para pô-la em prática? Crime é um lugar-comum, a existência é um lugar comum, e qualidade alguma salva aquilo que o lugar-comum executa neste mundo.”
– Filha! – Kira levantou o rosto, assustada – Kira? Kiryn!! – revirou os olhos. Por que sua mãe cismava em chama-la assim?
A garota levantou-se da cama rapidamente, fechando seu livro com força e tacando-o em baixo da sua cama. Prendeu os cabelos o mais rápido possível e antes que pudesse correr em direção seu armário, sua mãe entrou bruscamente pela porta.
– Kira!
– Sim? – ela tentou sorrir diante da expressão brava da mãe.
– Estou te chamando há um tempão! O que estava fazendo de tão importante?
– Eu só estava... Tirando uma soneca. – Kerry arqueou a sobrancelha, reparando na mentira descarada de sua filha.
Ela andou até o pé da cama e abaixou-se delicadamente, o que fez Kira bufar de raiva. A mãe pegou o livro repousado sobre o tapete e se pôs de pé, em frente à filha, que tinha estampado na cara um sorriso sem graça.
– Você estava lendo?
– Er... Talvez. – ela respondeu, sendo totalmente reprimida pelo olhar decepcionado da mãe.
– Quantas vezes terei que dizer que mulheres como nós não precisam disso? Onde consegue tantos livros, minha filha?
– Isso não é importante... Não vejo problemas em mulheres lerem! Não entendo por que isso te incomoda tanto!
– Minha filha, mulheres não nasceram para ser inteligentes... Só precisamos saber ler, falar e escrever. Aprendeu isso não escola, não?
– Sim, mas...
– Então para que livros? Nunca irá conseguir um marido assim.
– Existem vários homens que preservam uma mulher inteligente, mãe.
– É. Os velhos, barbudos e pobres, Kiryn!
– Não me chame assim!
– Mas é seu nome!
– Colocasse nome de gente em mim então! – Kira revoltou-se. Odiava, simplesmente odiava essas atitudes da mãe.
– Ok. Ok. Kira, não queremos um cara assim, queremos?
– Você não quer um cara assim.
– Porque eu  me preocupo com você! – a mais velha falou, vendo o rumo que a conversa tomaria, novamente – Veja suas irmãs, elas estão muito felizes com seus maridos... E quem os escolheu?
– Você... Eu sei, mas...
– Mas nada! Chega desse assunto! Isso ficará comigo... – apontou para o livro – E você, vá se arrumar! O jantar já está pronto e temos visita!
– Sim senhora. – Kerry sorriu, finalmente deixando o quarto.
Kira fechou a porta assim que a mãe saiu, se sentindo mais livre apenas com ausência da mãe. Qual o problema de mulheres quererem ler? Estavam no século 19, o que havia de errado naquilo? O mundo estava cada vez mais moderno lá fora.
A garota foi até o espelho, se observando.
Bom, às vezes ela achava que nascera no século errado. Kira era como um defeito de fábrica, em todos os sentidos. Começando por sua aparência. Seus cabelos eram lisos, 100% lisos, o que era um grande problema: só existiam mulheres de cabelo enrolado naquele mundo. Ela era obrigada, por sua mãe, a dormir com um monte de rolinhos na cabeça nas épocas escolares, para sair de casa ou para ir a festas.
Odiava usar aqueles vestidos enormes, e odiava muito mais os espartilhos. Argh! Como amaldiçoava esse nome trilhões de vezes ( a pessoa que criou o espartilho deveria ser a pessoal mais cruel de todo este universo) e sem contar que ela odiava seu nome. Kiryn. Que tipo de pai da o nome da filha de Kiryn?? Ela obrigava todos a chamarem de Kira (por mais estranho que também pareça), seu apelido, que ela até julgava gostar.
Apesar das ordens da mãe, Kira continuou com sua camisola. A única coisa que fez, foi prender o cabelo em um meio rabo de cavalo. Somente isso. Na verdade, ela estava até achando que tinha se arrumado de mais para um simples jantar em família, já que provavelmente a visita seria sua tia, sempre aparecendo de vez em quando.
Ela abriu a porta de vagar, evitando fazer algum tipo de barulho. Caminhou pelo grande corredor, e em vez de virar para as escadas, virou para... Hum, podemos chamar de elevador secreto.
Kira foi até o elevador de carga e deu duas batidas no caixote grande de madeira e mexeu na corda de palha que o mantinha pendurado.
– Niall! Está aí? Eu quero descer! – ela cochichou, batendo nele novamente.
– Kira? Suba! Já vou te descer.
Niall abaixou um pouco o caixote, afrouxando a corda e Kira conseguiu se enfiar no buraco, subindo em cima dele.
– Pode descer!
Seu amigo foi soltando a corda de pouco em pouco, até que o caixote passasse por ele.
– Você engordou! – ele comentou, amarrando a corda em seu suporte para que o caixote não despencasse até o último andar.
– Bom te ver também! – Kira saiu do “buraco” e abraçou o loirinho a sua frente – Como você está? Nem conversamos direito essa semana.
– Estou bem... Trabalhando, você sabe.
– Sei... E sinto muito por isso. Já disse que se eu pudesse, mandaria meu pai te ajudar, mas aí minha mãe descobriria que meu amigo trabalha na nossa casa e nos expulsaria daqui.
– Por que sempre fala da sua mãe como se ela fosse o ser mais cruel do mundo?
– Porque ela é, simples assim! – Kira sentou na bancada, sendo cumprimentada por outros empregados.
– Kerry tirou outro livro de você, não foi?
– Talvez... Tá legal, sim ela tirou. Como ela pode ser tão má? Sempre chegando no mesmo papo de que mulheres deviam ser ignorantes e burras. Se não formos inteligentes, o que será da nossa raça? Pra que existimos então? Apenas para satisfazer os prazeres de homens velhos podres de ricos?
 – Kira, você já é uma nova espécie, sabe disso. E eu concordo com você... Mas as maiorias dos homens não. As burras são sempre mais atraentes para eles. São mais fáceis de manipular, incapazes de enfrenta-los na frente de alguém e funcionam como marionetes: fazem exatamente o que eles querem.
– É como Shakespeare disse “Choramos ao nascer porque chegamos a este imenso cenário de dementes”.
– Exatamente.
– Bom, só vim dar oi. Tenho que ir para o jantar da família perfeita.
– Boa sorte! Ah, eu e adorei a camisola. Combina com seus olhos. – Niall zoou e Kira riu, mandando um beijo para ele.
Cumprimentou mais alguns empregados antes de sair despercebida pela porta da cozinha. Era comum eles verem Kira por lá, e nunca a destratavam, totalmente ao contrário, adoravam ouvir as histórias que ela tinha para contar de vez em quando.
Ela sorriu, com seu sempre bom humor bipolar, e andou pelo corredor, ouvindo o som de sua bota contra o piso caro de mármore, fazendo um eco irritante soar pelo espaço.
– Está atrasada! – escutou a voz de sua mãe, antes mesmo de atravessar a porta para a sala de jantar.
– Eu sei, me desculpe! Só estava... – Kira finalmente chegou à sala e parou de falar imediatamente sobe a quantidade de pessoas acomodadas na mesa – Ocupada.
Todos sentados se levantaram e a garota nem teve tempo de contar, já sendo intimidada pelo mesmo olhar decepcionado da mãe (provavelmente devido suas vestimentas inadequadas).
– Filha, que bom que veio se juntar a nós! – seu pai, Willian, quebrou a tensão instalada no momento – Querida, esses são os Tomlinson’s.  


OOOOOOOIE!
Tudo bem minhoquinhas?
Mas entããão? O que acharam do primeiro cap???
Legal? Chato? Desinteressante?
Enfim, se vocês não gostarem da fic, eu posso apagar
e começar outra! Como eu disse, essa vai ser
meioo diferente! Mas para entender melhor 
do que ela fala e terem uma ideia, eu já 
coloquei a página lá em cima do blog
(VOLTEI AO ANTIGO DESING já q ninguém
gostou do novo... nem eu) 
e minha irmã até fez um trailer supeeer legal :DDD
Bom.... Agradeço desde já a aquelas que 
não me abandonaram <33
Certo.... Acho que continuarei com 6 comments okay?
Só isso meus amores!
Tenho que ir estudar português e suas regras
de concordâncias nominais!
Malikisses & Paynekisses
Lo <3

PS.: VCS VIRAM OS 16 SEGUNDOS DE STORY OF MY LIFE??? PER-FECT!!

24 comentários:

  1. Adorei, achei interessante a sua ideia. Estou ansiosa pelo proximo cap :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. quando vc vai continuar a fic UDBC?

      Excluir
    2. Seriooo? Obrigada, Tália :))
      Bjs, Lo

      Excluir
  2. Loo eu amei o 1º Cap .Continua
    -Arianne Casatagnoli

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Awwwwn que bom Arianne <33
      Continuo sim >.<
      Bjs, Lo

      Excluir
  3. achei um pouco estranho mais continua ja q é com o td de bom do lou hahahha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkk ok, acho que depois melhora!
      Okeeey!
      Kkkk Louis é um pedaço de mau caminho né? ~parecendo minha mãe falando.
      Bjs, Lo

      Excluir
  4. esta absurdamente perfeito =)

    ResponderExcluir
  5. Heey Elo ! Cara eu amei,já estou amando,estou ansiosa para saber o que vai acontecer ! E,na minha opinião,você não precisa apagar e ela e nem mudar nada ou bla bla bla.E não acho que ficou estranho e nem nada do tipo,só está no começo e eu sempre gostei desse tipo de imagine antigos e que tem um pouco de mistério com romance \õ/
    Bom,continua logo Lo ! Está ficando per-fect :3
    Beijoos
    XxJuh
    P.S: Ah,como não deu para eu comentar no final da sua outra fic,ela ficou perfeita,amei o final *--* Simplesmente,divástico \õ/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olaaaa Juh!!
      Awwwn obggggg! Que bom que você ta gostando *-------*
      Kkk okey, Juh!
      Vc gostou de dude? Mesmo? Eu achei q nem ficou mto bom, maas... Mesmo assim, muuuuuuito obrigada :33
      Bjsss

      Excluir
  6. Continua! Estou muito curiosa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
  7. *
    Oii Lozita, eu estranhei um pouco porque não fala de uma ruiva, não tem piadas vergonhosas e um pouco engraçadas, o que não quer dizer que ta ruim e eu vou te jogar na fogueira eu nunca faria isso. E além do mais está no começo que é sempre confuso mais tá bom. Eu amei a sinopse e é acho que só

    Ps. Põe os personagens pra mim saber a idade deles, e um pouco sobre cada um.

    Xoxo Ana

    Ps², meu celular me trollou então apaga aquele comentário e deixa esse

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiiiie Anaaaa!!!
      Kkkkk pra falar a vdd eu tbm estranhei escrevendooo!
      é, mas depois fica melhor, juro.
      Anaaaaaa eu num vou personagem não, pq é dificil achar pessoas para representar essa epoca :( sorry
      Já apaguei kkk
      Bjssssssss

      Excluir
  8. Olá me chamo ninguém
    ah eu até gostei do Layout
    e sobre essa fic:
    Ela vai ser uma mistura de passado com os cafetões do presente?
    Pelo menos eu acho que vai ser assim
    Sobre SOML: I have a Heart Attack
    Bom vou falar apenas isso Lolota
    Bjsss e fuuui

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii ninguém, sou Elo, prazer!
      Vc tinha gostado Aninha? Eu num sabia :(
      É, kkk acho que vai ser....
      kfnegfvnsfdgv eu tbm
      Bjs, Aninha do meu heart <3

      Excluir
  9. Menina suas fics são mais q perfeitas, adorei continuaaa. Muito Diva.
    XxThaina :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. dcdjjfnvdv obgggg
      Continuooooo
      djfvndfv vlw
      Bjs, Lo

      Excluir
  10. Posso posta-la no whattpad? Todos os direitos reserdos a você

    ResponderExcluir