9/05/2014

Out Law Capítulo 2 - Strange

6 anos depois. Londres, Inglaterra

Clara’s POV

– HARRY! – soltei um berro quando ele cuspiu toda a sopa, que acabara de colocar na boca, em minha blusa manchada – QUE NOJO! FILHO DE UMA MÃE!
Ele cuspiu o restante na pia e se desatou a rir. Seu tronco se inclinou, levando a mão a barriga, mostrando o pequeno “coque” que prendia a franja de seus cabelos encaracolados. Peguei o pano em cima do balcão e passei nos cantos molhados por sua baba nojenta, soltando um “eca” a cada milésimo de segundos.
– Desculpe – ele limpou algumas lágrimas – É que está horrível.
– Um “está horrível” seria muito melhor do que cuspir na minha roupa! – miei, ainda com uma cara de nojo no rosto. – Eu fiz essa sopa com tanto amor, carinho, dedicação e suor.
– Talvez tenha colocado suor de mais aí dentro. – Eca de novo. Harry passou outro pano na própria língua e aquilo foi o meu limite.
– Eu desisto! – joguei o pano em Styles, sentando na cadeira em frente a mesa totalmente bagunçada.
– É só um jantar, Clara... Por que tanta importância? – ele se sentou na cadeira ao meu lado, inclinando um pouco o corpo na minha direção. Seus dedos começaram a desenhar na farinha espalhada pela metade da superfície, distraidamente.
– Você sabe por que. – encostei a cabeça no punho, vendo o coração que seus dedos desenhavam – É uma maneira de me desculpar.
– Pela sua versão da história, a culpa não pareceu ser sua. – Harry deu de ombros, levando o dedo cheio de farinha para a boca e fazendo uma careta de desaprovação logo em seguida. – Pelo menos é melhor que a sopa. – lhe lancei um olhar mortal – Desculpe, não resisti. Onde eu estava?... Ah, sim! A culpa parece ser do Zayn.
– Bem... talvez eu tenha modificado um pouco minha versão... – mordi os lábios – mas só porque estava irritada! Todos fazem isso quando estão irritados!
– Clara, escute – limpou as mãos na calça do moletom, que já estava suja de qualquer maneira – Casais brigam. Vocês já brigaram várias vezes nesses dois anos juntos, por que tanto alarme para uma briguinha que irá se revolver?
– As coisas estão indo de mal a pior, Harry. – passei a mão pelo meu rosto – E se dessa vez não nos revolvermos? – olhei triste para ele. Ele largou a postura de brincadeira e adquiriu uma de melhor amigo protetor.
– É claro que vocês vão se resolver! – Styles puxou meu corpo para um abraço. Ele fedia a colônia masculina com peixe cru.
Retribuí o abraço, sentindo minha cabeça latejar.
Podia ser até verdade que eu e Zayn já havíamos brigado várias vezes, mas essa em especial tinha sido uma briga feia. Além de eu sentir que ele parecia estar se distanciando nas últimas semanas, estava agindo cada vez mais estranho comigo. Será que ele estava me traindo?
– Harry, o Zayn tá saindo com outra? – ouvi minha própria voz dizer.
– O quê? – Harry nos afastou, me encarando indignado – Clara! Vocês são o casal mais apaixonado que eu já vi em toda a minha vida! Sem brincadeira! Zayn te ama. Você ama ele! Por que está tão preocupada?
– Porque ultimamente esses argumentos não estão me acalmando. – suspirei e Harry acabou fazendo o mesmo, passando a mão pela lateral do meu braço.
– Vamos fazer o seguinte – ele falou, parecendo perceber que eu estava prestes a chorar – Zayn vai chegar logo, logo. Então, você vai subir, tomar um banho e eu cuido do restante aqui em baixo!
– O quê, não! Eu preciso ainda arranjar a comida e... – funguei fundo, sentindo um cheiro de queimado começar a se espalhar pela cozinha – Acho que deixámos o peixe tempo de mais no forno! – miei, batendo na minha cabeça com a mão, não me importando em levantar e tirar o peixe de onde estava. A aquela altura, já estava não-comestível.
– Faz o que eu disse, Clara! – Harry se levantou, puxando meus braços para que eu fizesse o mesmo – Vai tomar um banho! Quando descer tudo estará em perfeito estado! – ele me empurrou até a porta.
Decidi não discutir.
– Ok. Ok.
Saí da cozinha sendo empurrada. Fui até as escadas reclamando sobre algumas coisas, subindo para o andar de cima e entrando no quarto que dividia com o meu namorado. Fechei a porta e fui até o banheiro, fazendo o mesmo. Arranquei a roupa suja de todos os tipos de comidas possíveis, e liguei o chuveiro, me jogando embaixo da água quente.
Tentei deixar meus pensamentos positivos enquanto lavava os cabelos. Zayn não iria terminar comigo, muito menos estava me traindo. Ele passaria por aquela porta depois de uma semana fora, visitando os pais, e nada parecerá ter acontecido. Não deixarei o fato dele não retornar minhas ligações abalar minha mente. Não mesmo. Ele havia mandado algumas mensagens... Com poucas palavras sem graça... Mas isso poderia ser porque ele estava sem sinal... Ou sem crédito... Ele é multimilionário, é claro que ele tem crédito no celular, Clara.
Vendo que ficar pensando no banho não daria muito certo, terminei de me lavar inteira, desligando o chuveiro depois de quase meia hora filosofando sobre os últimos acontecimentos. Enrolei uma toalha no corpo e outra na cabeça, saindo do banheiro não tão melhor do que antes.
Encontrei Chanel deitada na cama, tirando uma espécie de cochilo enquanto seus pelos começavam a grudar na colcha verde clara. Revirei os olhos, indo até ela e tirando-a de cima da cama. Ela abriu os olhos meio sonolenta e assim que a coloquei no chão, ela soltou um miado rabugento e correu para de baixo da cama.
– Gata mal humorada.
Talvez não fosse a gata que estivesse de mal humor.
Pensei um milhão de vezes a respeito de colocar uma roupa chique ou não. Acabei concluindo que não. Primeiro porque não tinha mais comida, praticamente. E segundo porque não queria parecer desesperada, por mais que estivesse.
Vesti uma calça jeans e uma camiseta de manga cumprida que sabia que Zayn gostava – nunca falei que desistiria de causar uma boa impressão – e tirei a toalha dos cabelos, penteando-os rapidamente antes de sair do quarto e ir em direção as escadas enormes. Encontrei Ed brincando com um osso na sala e entrei na cozinha, já cansada mentalmente por ter que arrumar de vez toda aquela bagunça com Harry.
Mas não havia nada. Nada. Nem bagunça, nem farinha, nem Harry Styles com um coque gay na cabeça. A única coisa que se destacava ali eram dois sacos brancos sobre a pia, ao lado do fogão. Olhei para os lados, em busca do meu amigo e como não vi nada, andei até os dois sacos de papel, abrindo um deles. Um cheiro gostoso de comida japonesa subiu para meu nariz e minha barriga berrou um “COME UM POUCO” naquele instante.
Nota mental: agradecer Harry infinitamente.
Eu te amo Harry Styles.
Levei um pequeno susto quando Ed começou a latir desesperado e pude ouvir o som de suas patinhas, correndo para longe da sala. Arregalei meus olhos, imaginando quanto tempo eu demorara no banho para Zayn já estar chegando da viagem. Fechei o saquinho rapidamente e o coloquei mais para o canto, saindo da cozinha em passos rápidos enquanto meu coração acelerava em uma rapidez desconhecida por mim.
Passei pela sala, indo direto para o hall de entrada. Antes que eu pudesse fazer qualquer outra coisa, meus pés descalços pisaram em algo que surgiu do além, como sempre acontecia, e eu perdi o equilíbrio, indo diretamente para o chão. Soltei um grito, esperando minha cara aterrissar no piso, quando ele segurou em meus braços antes que isso acontecesse.
– Quantas vezes vou ter que te salvar de um galo na cabeça? – ouvi a voz doce de Zayn soar brincalhona enquanto ele me colocava de pé, de frente para seu corpo.
Abri um sorriso, encarando aqueles olhos maravilhosos que sempre me traziam as diversas sensações conhecidas.
– Acho que esse nem é o começo. – respondi, vendo-o sorrir em resposta.
Eu queria beija-lo, mas meu medo era de ser rejeitada. Eu também queria abraça-lo, mas meu medo também era de ser rejeitada.
– Zayn... – comecei, pensando nas melhores palavras para pedir desculpas mais do que rapidamente.
– Não. – ele colocou o dedo em meus lábios, olhando fundo em meus olhos – Não vamos falar sobre isso, ok? Tá tudo bem. Eu nem me lembro mais. – ele afastou o dedo.
Se não lembra, por que não me ligou durante a viagem?
– Certo. – respondi, com a pergunta entalada em minha garganta. – Eu, rum, senti saudades.
– Eu também, meu amor – ele sorriu, levantando meu queixo e aproximando seu rosto do meu – Muitas saudades.
Seus lábios tocaram os meus em um beijo. Meus olhos se fecharam automaticamente e eu senti todos os pelos do meu corpo arrepiarem com aquela ação. Seus braços foram para a minha cintura, abraçando-me, como sempre fazia. Sua língua fez movimentos suaves sobre minha e passei meus braços por seus ombros, puxando-o ainda para mais perto.
Foi então que minha mente raciocinou: algo estava errado.
“Como assim algo está errado, Clara? Ele está sendo maravilhoso, estão se pegando, está tudo ótimo! Vocês não continuaram a briga, nem a mencionaram direito! Parece que nada aconteceu, do jeito que você queria!”.
Exatamente. Zayn não estava agindo daquela maneira fazia pelo menos um mês. Como eu disse, parecia que estava se afastando. Será que ele contou a situação para a mãe dele e ela deu uma dura no filho? Não acho que esse tenha sido o caso. Ou talvez tenha sido, já que ela esperava que eu aparecesse com ele, mas devido a nossa briga, isso não aconteceu.
– Hm... Está com fome? – separei nossos lábios, vendo seus olhos ainda fechados.
– Muita. – ele abriu os olhos, jogando a cabeça para trás.
– Eu... hm... tentei fazer uma janta legal e romântica, mas meio que saiu fora do controle. – fiz uma careta, vendo-o rir – Tem comida japonesa do restaurante da esquina, aceita?
– Opa. Como sabe que eu amo a comida japonesa do restaurante da esquina? – arqueou a sobrancelha e pude ver seus lábios lutarem para não se erguerem em um sorriso.
– Intuição! – dei de ombros, beijando rapidamente seus lábios e soltando seu pescoço – Mas então, como foi a viagem? – perguntei, passando do lado de uma de suas malas e indo para a sala, sendo seguida por ele.
– Nem me pergunte. Acho que engordei um oito quilos! Sem brincadeira! – Zayn se jogou no sofá – Minha mãe chegou a fazer dez tipos de pratos diferentes no mesmo dia. – entrei na cozinha, pegando os dois sacos e dando um para ele, jogando-me ao seu lado no sofá.
– Você sabe que tenho uma tara por homens gordinhos. – fiz uma cara sensual, não me aguentando e me desatando a rir. Zayn fez o mesmo.
– Com essa cara que você fez assusta todos os gordinhos e magrinhos que tentarem se aproximar.
Ri mais uma vez, abrindo o saquinho e puxando a cumbucas de marmita dali de dentro, junto com dois palitinhos. Zayn fez o mesmo.
Nós continuamos com uma conversa normal, que iam de um assunto para outro, como geralmente era. Mas minha cabeça não parava de pensar que realmente havia algo errado acontecendo ali. Zayn estava agindo normalmente demais. Até demais.
Quando terminamos de comer, Zayn levou as coisas para a cozinha e depois voltou para a sala, puxando-me para me deitar no seu colo. Ele começou a mexer em meu cabelo já seco, enquanto seus olhos me encaravam penetrantemente, de uma maneira sexy. Um pequeno sorriso surgiu em seu rosto, no entanto, segundos depois, ele desapareceu, dando lugar há um cenho franzido e uma feição preocupada.
– O que foi? – perguntei, me sentado e virando de frente para ele.
– Clara, eu... – seus olhos abaixaram e depois voltaram para os meus – Nós precisamos conversar.
Meu corpo congelou. Foi a vez do meu cenho franzir. Ajeitei minha coluna, sentando de frente para ele com meu coração já começando a se alterar. Cogitei a ideia de vomita-lo logo de uma vez para ver se ele parava de bater tão rápido contra meu peito.
Ela vai terminar. Ele vai terminar. Ele vai terminar.
– O que aconteceu? – perguntei, vendo-o se ajeitar igualmente no sofá.
– Eu... – ele suspirou.
– Você vai terminar comigo, eu sabia! – passei a mão pela testa, nem reparando que o havia interrompido – Droga! Por que eu sempre faço essas cagadas para afastar os outros de mim e...
– O quê? – Zayn deu uma engasgada – Meu amor, eu não vou terminar com você.
Fiquei confusa.
– Não? – ele negou, rindo fraco. Lembrei da minha conversa com Harry – VOCÊ ESTÁ ME TRAINDO? – me levantei do sofá, já começando a me indignar.
– Trair? – ele deu mais uma engasgada – Meu Deus, Clara, o que te faz pensar que eu vá falar essas coisas?
– Bem... – mordi os lábios, cerrando os olhos enquanto pensava – Eu... Você... – anda estranho pra cacete essas últimas semanas – Nada. Esqueça. É apenas uma bobeira minha. – voltei a me sentar.
– Clara... – ele respirou fundo – Eu não vou terminar com você. E eu nunca te trairia! Eu te amo e se tem dúvidas disso, eu...
– Não, não, não – me arrastei para mais perto dele – Não tenho dúvidas, eu também te amo... Só achei que, depois das brigas...
– Casais brigam, Clara. – já me falaram isso hoje, to bem informada a respeito – Não pode pensar essa tipo de coisa toda vez que brigarmos mais feio.
Abaixei meu olhar.
– Desculpe. Só fiquei um pouco nervosa. – murmurei, rindo sem humor.
Eu realmente era uma completa idiota.
Zayn suspirou.
– Vem cá. – suas mãos foram para a minha cintura e ele me puxou para o seu colo, como um pai faz com a filha, e me abraçou. – Desculpe se te passei essa impressão. – ele beijou minha nuca.
– Desculpe achar que você me trairia. – tentei, ouvindo uma risada fraca sua ecoar pela sala.
– Nunca. – sussurrou, encontrando meu olhar.
Meus lábios foram de encontro com os seus segundos depois. Os mesmos processos de antes foram realizados e meu coração continuava palpitando mais rápido. Beijar Zayn era uma das melhores coisas que a vida me proporcionara. Era tão bom sentir todos aqueles sentimentos, calafrios, sensações, a cada toque. Eu simplesmente não saberia o que fazer sem tê-lo mais perto de mim.
Seus lábios pararam de me beijar, mas ainda próximos dos meus, ele disse:
– Eu te amo, meu amor.
– Eu também te amo. – sorri, com os olhos ainda fechados e Zayn logo voltou a me beijar.
Seus braços apertaram minha cintura com mais força no instante em que comecei a acariciar sua nuca com as unhas, como se tivesse medo de que eu fosse embora. E eu nunca iria. E deixei isso bem claro quando o beijei com mais força e veracidade, sentindo-o corresponder positivamente com aquilo.
Acabei me esquecendo que ele precisava contar algo, afinal, quem não esqueceria? E se aquele era um novo tipo de distração para adiar a conversa, havia funcionado extremamente bem.




Heeey amores! Eu consegui escrever um capítulooo yeeey!!! Eu só ia deixar para publicar semana que vem, mas achei que seria mais legal para vocês colocar hoje mesmo :D 
>>>>> E SIM! ESSA É A SEGUNDA TEMPORADA DE CRIMINAL!!! <<<<<
E vai ser assim, eu realmente não vou mais postar aqui, 
ok? Vou postar nesse link:
Ok? Eu to não estou querendo mais postar no blog, loga história,
então será isso, o próximo cap será publicado somente naquele link?
Combinadoo?
Mas de qualquer maneira, obrigada por todos os comentários <3 
Qualquer dúvida perguntem!
Beijos,
Lo.









10 comentários:

  1. AiAi continua ta perfeitooo demais

    ResponderExcluir
  2. Elo chama no whats? 043-98031674 xoxo isabel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Qie aconteceu q eles brigaram? Xoxo Isabel :)

      Excluir
  3. Adorooooo suas fica são muito boas msm VC escreve com muitaaaa perfeição !!!!

    ResponderExcluir
  4. Msis vc vai cotinuar postando nos mesmo dias neh segunda e quinta?

    ResponderExcluir
  5. Não vai continua postando segundas e sextas não?????? PELOS AMOR DE DEUS COOOOONTINUA,EU PRECISO DESSA FIC

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela ta postando em outro site amr

      Excluir
  6. Nao vai continuar mais? Xixo Saah .

    Leitora nova

    ResponderExcluir