12/18/2014

UDBC - Cap 15 - Quero distância



Harriett entrou em uma lanchonete qualquer. E deu de cara com uma pessoa, a qual ela não queria ter achado, visto ou encontrado.
Stevie, seu ex-noivo. Eles terminaram por Harriett ser muito viciada com o trabalho, muito viciada.
 – Harriett!! – Stevie falou sorrindo – Estava com saudades.
 – Pois eu não. – Harriett falou tentando sair do quase abraço.
 – Vamos tomar um café, o que acha? – Stevie, cujo nome completo é Louis Stevie perguntou.
 – Não vai dar, estou atrasada...
 – Não invente desculpas, um café não ira te matar.
 – Ok, mas só um café.
 – Ok, somente um café. – Stevie falou e eles entraram novamente na lanchonete, afinal um café não mataria ninguém.
Somente um café. Isso não é nada de mais. É somente um café. Não irei morrer. É só um café.
Harriett repetia seu pensamento, nada pode ser tão ruim quando ter que tomar um café. Tudo bem que é um café com seu ex-quase noivo. Mas não poderia sair correndo. Ela tinha aceito. Então ali estava Harriett, sentada em uma mesa, encarando seu antigo amor e tomando um café.
Parecia que tudo que Harriett já sentiu voltou à tona. Tudo que ela já iria parar de sentir voltou para lhe dar um tapa na cara.
– E como vai a sua vida? Sabe, depois de tudo...  – Stevie começou, Hazy sabia a que ele se referia, ao término.
– Vai bem, sabe como é. – Hazy enrolou – E com você?
– Vai bem, mas sinto sua falta. – Stevie falou e pegou em uma das mãos de Harriett – Sei que erramos no passado, mas acho que podemos acertar. Não acha?
– Stevie. – Hazy falou puxando sua mão – Não vai dar, estou gostando de outro...
– Sei que é complicado, mas eu nunca te esqueci. – Stevie falou.
– Stevie...
– Sei que nunca me esqueceu também.
– Stevie...
– Você pode me dar uma segunda chance? – Stevie perguntou e Harriett se levantou da cadeira.
– Sei que é complicado, mas não acho que nós dois poderemos dar certo se já não demos. – Harriett falou e Stevie se levantou ficando de frente para ela.
– Hazz, tente me entender, eu não te esqueci, espero que você também não tenha me esquecido. Foi tudo muito bom, mas eu cometi um erro. Não vi o quanto você era essencial na minha vida. Me perdoe. Quero poder ter novamente você ao meu lado, te proteger. – A cada frase Stevie se aproximava de Harriett, cada vez mais perto. Ele chegou tão perto que as respirações dos dois chegavam a se confundir. Aquilo parecia programado, mas não era. Stevie colocou a mão na cintura de Harriett e a puxou para perto. Os dois já estavam quase se beijando, mas Louis veio a cabeça de Harriett, ela não poderia fazer isso com ele. Quer dizer, com o casamento.
Ela tinha que provar que não trairia, nem que por alguns meses. Louis duvidava dela. Harriett com o pensamento em Louis se afastou de Stevie e saiu correndo. Ela não poderia. Não poderia fazer isso, mas por que não poderia? Era só Louis, o cara que ela queria manter distância. Ela poderia ter beijado Stevie, se livrado de Louis e seus problemas teriam acabado. Mas não, ela fugiu. Por que ela fugiu? Era o momento ideal para acabar com o casamento e ela não aproveitou.
Ela não entendia. Se ela fugiu para salvar uma coisa que quer que acabe, por que não ficou lá e beijou o seu antigo noivo. Nada fazia sentido para Harriett. Quer acabar com o casamento, mas quando a chance está em sua frente ela sai correndo. 
Harriett se sentou em um banco que tinha ali por perto e apoiou a cabeça em suas mãos. A única coisa que ela queria agora era descobrir o por que fugiu. Será que ela estava sentindo alguma coisa por Louis?
 – Não – Harriett falou quando seus pensamentos caminharam para uma área que ela evita: seus sentimentos – Eu odeio ele, ele me odeia. Pronto.
Ali Harriett ficou, em um banco de uma praça, tentando lembrar vários motivos para odiar Louis. No fim ela conseguiu se lembrar do motivo mais importante para odiar ele. O fato de ele ser seu marido.
Logo ela se levantou daquele banco e retomou seu caminho. Para onde quer que ela estivesse indo era melhor do que ficar ali pensando em motivos para odiar Louis. Talvez um café ajude.
Harriett caminhou lentamente até algum lugar que vendesse café. Entrou no primeiro que achou e foi até o balcão para pedir um café. Assim que pegou seu café e pagou, saiu do estabelecimento. Se sentou em um banco e novamente ficou ali, pensando em absolutamente nada. Ficou tão distraída que nem percebeu três garotas chegarem ali e ficarem a encarando com raiva.
 – Você é a namorada do Louis? – uma delas perguntou e Harriett a encarou sem entender nada.
 – Sou, por que? – ela perguntou e as três garotas se encararam.
 – É o seguinte, já basta a Eleanor, se você fazer ele ficar triste vai apanhar. – uma comentou.
 – Aposto que você é mais uma que só quer fama e dinheiro. – outra falou.
 – Poderia simplificar sua vida e se matar. Ajudaria todos. - a primeira voltou a falar.
 – E vocês são quem para me falar isso? Se o Louis me escolheu... – Harriett evitou qualquer palavra de afeto.
 – Escuta aqui vadia, escolhe outro para dar, não precisamos outra que sugue fama e dinheiro. – uma terceira comentou.
 – Se você magoar o Louis. – a primeira se aproximou de Harriett e deu um tapa na cara dela – Isso vai ser pior.
Assim as três saíram correndo de perto de Harriett. Ali ficou Callan, tentando entender o que tinha acabado de acontecer. Três fãs loucas tinham acabado de bater em Harriett, só pelo fato de estar com Louis.
Harriett queria entender o que falavam dela. Assim ela pegou seu celular e pela primeira vez em meses Harriett entrou no seu twitter. Ela tinha quase um milhão de seguidores, e suas mentions estavam cheias. A maioria era xingando ela, somente três não eram. Harriett não conseguir segurar e começou a chorar. Dali ela foi direto para um táxi. Queria chegar na casa de Louis o quanto antes. Queria se matar que nem aquela menina falou ou como outras milhões de meninas falaram. Todas odiavam ela, e nem tinha motivo para isso. Não podia ser verdade.
Harriett logo chegou na mansão do Tomlinson e entrou correndo, subiu correndo e chorando. Nem percebeu que ali na sala, os meninos, Louis, Niall, Liam, Zayn e Harry, a cabeleireira, Lou e a nova assistente, Rafaela, estavam ali, olhando Harriett subir correndo e chorando. 
 – O que você faz Louis? – Lou foi a primeira a encarar Louis e perguntar qualquer coisa.
 – Juro que dessa vez não fiz nada. – Louis falou levantando os braços em rendição.
 – Vamos fingir que acreditamos. – Niall falou.
 – Disse bem, só fingir. – Liam acrescentou.
 – Ela parece ser legal, vocês dois formam um belo casal. – Rafaela, a nova pessoa da equipe direction comentou.
 – Belo casal o ovo. – Louis falou irritado e foi em direção ao jardim.
Liam e Harry foram atrás de Louis, enquanto Niall levou Rafaela para conhecer Harriett.
Harriett estava deitada na cama, ela sabia que não podia deixar se abalar por esses xingamentos. Mas não tinha como não se abalar. As meninas tinham xingado ela e batido nela. Ela não conseguia ser forte, não naquele momento.
Harriett não conseguia ser forte sabendo que o natal estava chegando e não tinha noticias de seus pais, não conseguia sabendo que ainda tinha que tentar fazer um casamento dar certo. Tudo parecia dar errado. Tudo girava e ia contramão. Tudo estava planejado, até Louis Tomlinson ter entrado na sua vida. A culpa não era de Harriett, mas sim de Louis. Ele era o culpado. 
Pelo menos na cabeça de Harriett. Tudo era culpa de Louis e seria até o casamento acabar. Para Harriett não restava nada, além de odiar Louis.
Logo o barulho de alguém batendo na porta ecoou pelo quarto, fazendo Hazy sair de seus pensamentos e voltar ao mundo real. Pelo menos ao que ela considera real.
 – Entre! – Ela falou e Niall entrou seguido de uma estranha. Uma estranha aos olhos de Harriett. Porem para todos naquela casa, ela já era uma conhecida.
 – Queria saber se está tudo bem. – Niall falou – E lhe apresentar Rafaela, a nova assistente da Lou.
 – Prazer. – Harriett falou estendendo a mão para Rafa que apertou com um sorriso no rosto.
 – Você deve ser a namorada do Louis. – Rafa falou sorrindo e Harriett encarou Niall.
 – Ela não sabe? – Harriett perguntou e Niall negou com a cabeça.
– Eu não sou a namorada do Louis, sou a esposa dele. – Harriett falou e Rafaela ficou com a boca aberta.
~x~
Louis estava sentado ali, no jardim da sua casa tentando entender o porque de ter se irritado tanto com aquela observação. Não faz mal fazer um belo casal com alguém. Mas por que Louis se irritou tanto com aquela observação?
 – Sério? – ele ouviu a voz de Liam.
 – Sério o que Payne? – Louis perguntou irritado.
 – Sério que você vai ficar aqui, emburrado, só porque a Rafa falou que você e a Harriett formam um belo casal? – Liam perguntou e Harry se sentou ao lado de Louis.
 – Esse é o problema. Eu não sei o porque de ficar tão irritado. – Louis falou.
 – Talvez seja porque você esteja sentindo algo diferente por Harriett, mas não quer admitir – Liam falou e Louis revirou os olhos – Quem sabe não é hora de deixar de ser criança e assumir alguma responsabilidade?
 – Sério? Tudo bem que estamos em uma banda famosa e que temos que ser responsáveis e tudo...  – Louis foi cortado por Liam.
 – Não falo em relação à banda. Louis você está CASADO. Acho que é hora de crescer – Liam falou – Pode ser um casamento inesperado com uma estranha. Mas tente ser responsável pelo menos nesses meses.
 – Não acho que tentar ser maduro agora vá ajudar. – Louis falou.
 – Concordo, você tinha que ter sido maduro quando estava bebendo naquele cassino. Mas como não foi, seja maduro agora. – Liam falou e se virou para ir para a sala.
 – Ok, pode ser que eu não seja maduro. Mas eu sei aproveitar a vida. – Louis falou ficando de pé e Liam se virou para encarar Louis.
 – Eu não estou casado. – Liam falou – Acorda Louis, você casou com uma desconhecida, em um cassino de alguma esquina de Las Vegas. Me diga como eu posso acreditar que você é maduro.
 – Entenda! Eu não sou como você. – Louis falou se esforçando para não gritar.
 – Não quero que seja igual a mim. Quero que seja mais maduro. – Liam falou e entrou novamente na casa de Tomlinson.
 – Louis – Harry o chamou, porém o mais velho estava com a cabela cheia. Tinha acabado de brigar com o Liam, o mais responsável do grupo. – Louis, eu acho que Liam tem razão, talvez o jeito mais fácil de acabar com esse casamento seja tentar fazer dar certo.
 – Esse é o problema, se sem tentar eu estou sentindo algo por ela, imagine tentando. – Louis falou e saiu apressado. Não queria ouvir a opinião de Harry. Não queria ouvir o quão errado aquilo era. Só queria sair dali e talvez beber até esquecer qual era o seu nome. Ou talvez o nome de Harriett. Essa pareceu uma opção viável para ele.
Logo ele estava lá, em um bar que nunca tinha ouvido falar. Só para esquecer a merda de um problema. Porem as palavras de Liam e de Harry vinham à cabeça de Louis.
“Você tinha que ter sido maduro quando estava bebendo naquele cassino.”
“Quem sabe não é hora de deixar de ser criança e assumir alguma responsabilidade?”
“Tente fazer dar certo.”
Antes de Louis entrar, ficou ali e pensou. Tentar fazer dar certo, não é se embebedar, não vou beber. Vou para qualquer outro lugar que não tenha bebida, isso. Louis está amadurecendo, entrou novamente em seu carro e dirigiu para qualquer lugar. Ele não tinha rumo. Tudo que precisava era esparecer.
~x~
 – Deixa eu ver se entendi – Rafa falou depois de Harriett lhe contar toda a história – Você e Louis se casaram bêbados em um cassino e para se separarem tem que tentar fazer esse casamento dar certo?
 – Exatamente. – Harriett falou.
 – Mas eu aposto que eles vão se apaixonar antes. – Niall falou e Harriett revirou os olhos.
– Eu acho que não. Eu NÃO gosto dele. – Harriett falou.
~x~
Ali se encontrava Louis. Em algum bosque deserto que ele achou. Tudo que sabia no momento era que ele estava se apaixonando por Harriett.
– De uma hora para outra. – Louis comentou para si mesmo. – Impossível. – Louis só queria que nada disso tivesse acontecido. Talvez ele estivesse com Eleanor ainda. Talvez não, isso não era importante. – Como eu não percebi que estava começando a gostar dela? – Louis sabia que não podia ficar por isso. Ela odiava ele, ou ele se afastava ou – Tento conquistar ela
~x~
 – Eu nunca irei me apaixonar por ele. O odeio. Ele estragou minha vida. Quero distância. – Harriett falou.

OITO
O
I
T
O
DIAS!!!!
ebaaaaaaaah
Vai ter festinha aqui em casa, se quiserem vir! hahaahah
Um beijo e um queijo
Tália

Um comentário:

  1. Só passar o endereço môre? Posso até levar meus 5 maridos gatos

    ResponderExcluir