8/13/2013

Dude Cap 40- Mas eu continuo lindo!




- Aí ele caiu... Foi tão engraçado! – Doniya disse olhando para cima, como uma sonhadora.
- Ha ha há... – Zayn mostrou a língua para ela – Até parece que você nunca caiu na vida!
- Todas nós já caímos, Zayn – Waliyha comentou, ainda rindo – Mas não como você aquele dia! – acabei me contagiando com sua risada engraçada.
- Alô? Graça? – Malik fingiu atender um celular com os próprios dedos.
- Ela não está, quer deixar recado? – Saafa falou, fazendo o mesmo gesto e todas nós, menos Zayn claro, começamos a rir.
- Já falei o quanto suas irmãs são legais?
- Não. – disse bufando.
- Mas então, elas são.
- Dizemos o mesmo sobre você, Sophi! A última namorada que Zayn trouxe pra cá raspou o pelo do nosso gato! – fiz uma cara de dúvida sobre esse comentário e todos riram – Longa história.
- Meninas! – Trisha entrou na sala – Saafa e Whaliyha já pra cima tomar banho! Daqui a pouco o mundo inteiro chega e vocês ainda vão estar vestidas que nem mendigas!
- Ah, mãe! – Saafa deu de ombros e a mãe olhou enfurecida para ela – To indo! – disse rapidamente, se levantando do sofá, pegando a mão da irmã e sem mais palavras, saiu correndo para cima.
- O poder materno! – eu ri fraco e ela sorriu – Doniya! Me ajude na cozinha!
- Ok!
- Eu posso fazer algo? – perguntei, me pondo de pé – Eu sei arrumar mesas! – dei de ombros e Trisha soltou uma gargalhada agradável.
- Não precisa não, Sophi! Só estamos terminando os preparativos! – concordei de leve e ela e Doniya foram para a cozinha.
Por um segundo, toda aquela cena maternal, me fez sentir falta da minha mãe (por mais estranho que isso pudesse parecer). Eu e minha mãe nunca fomos tão próximas assim, mas continuava a amando e nunca passei tanto tempo distante dela assim.
- Você vem aqui! – Zayn agarrou minha mão e puxou-a para baixo, fazendo com que eu caísse no sofá novamente – Minha família te ama! – disse me puxando para cima e me dando um abraço de urso.
- Não tenho certeza disso! – falei, tentando buscar ar no meio daquele abraço caloroso.
- Eu tenho. – ele, finalmente, afrouxou os braços e eu pude respirar normalmente.
- Você quase me matou asfixiada! – resmunguei, colocando minha franja de volta no lugar.
- Não tem problema! – puxou meu pescoço outra vez, para mais um abraço.
- Preciso de ar, por favor! – minha voz saiu abafada, devido a pressão que ele abraçava meu rosto – Um dia eu vou morrer e ninguém vai saber porquê! – resmunguei e Zayn me soltou novamente, com um sorriso brincalhão nos lábios.
- Você está vermelha!
- Ah, por que será? – disse irônica e ele riu.
Não pude deixar de rir junto. Seu sorriso me contagiava por completo.
- Bem... – suspirei depois de um tempo, voltando a vida – Vou tomar banho! Não quero estar cheirando a atum quando mais pessoas da sua família chegarem!
Eu passei o dia ajudando na decoração da festa da vovó Malik. Ela estava fazendo 75 anos, e como ela mesma disse, precisava ser uma super comemoração, ou seja, uma super decoração embutida.
Pelo o que ela me contara, tinha convidado todo o seus colegas da hidroginástica, acupuntura, xadrez, bingo, irmãos e mais outros familiares. A festa estaria, com certeza, cheia (principalmente de idosos fofos e outros rabugentos) e uma mão a mais foi muito útil.
A família de Zayn é bem acolhedora. Poderia ter conhecido eles ontem à tarde, mas eles já me tratavam como se eu fizesse parte da família. Trisha é aquela típica mãezona brava, mas melhor amiga, que sempre estava ali quando necessário. Yasser tinha a aparência brava, o oposto da sua personalidade. Era um homem totalmente extrovertido e animado, sempre fazendo piadas (às vezes sem graça) e tirando sarro. Doniya, Whaliyha e Saafa eram as mais legais, elas tinham quase a (mais ou menos) mesma idade que eu, mas não por isso. Doniya era a mais velha, de todos os irmãos; depois vinham Zayn, Whaliyha, e Saafa; Também tinha a vovó Malik, na verdade, seu nome era Elizabeth, mas pediu para que eu a chamasse assim.
- Jájá você vai... – Zayn murmurou, olhando-me com súplica, apertando mais meu pulso com sua mão – Aqui tá bom.
- Você que escolhe! Prefere beijar uma menina fedendo a esgoto? – ele torceu o nariz, negando e eu desatei a rir – Então me solta.
- Tá bom... – disse derrotado – Mas tem que pagar pedágio! – bati com a mão na cara, segurando o riso daquela brincadeira tão abestada.
- Onde você está escondendo a maconha, Malik?
- No meu guarda-roupa, ué. Você sabe muito bem, pra que a pergunta? – comecei a rir mais da sua resposta e ele me acompanhou – Agora é sério. O pedágio! – fez uma cara de cobrador (cobrador tem cara?) e eu arqueei uma sobrancelha.
- Hunf. – bufei alto, de brincadeira.
Me aproximei, sem muita pressa, parando a milímetros de distancia do seu rosto. Olhei fundo naqueles olhos castanhos perfeitos e esqueci por meio segundo o que eu estava fazendo. Levantei minha mão até sua bochecha, acariciando-a de vagar, descendo para seu ombro. Senti meu pulso sendo soltado e sorri mentalmente antes de me afastar e sair do sofá.
Zayn me encarou com uma cara “wtf?” e eu gargalhei alto, jogando minha cabeça para trás e batendo palmas feito uma foca.
- Perdeu, playboy! – sorri marota e mandei um beijo no ar, me dirigindo até a escada.
Larguei Zayn e sua cara indignada e subi os degraus saltitante, numa alegria interminável e misteriosa. Entrei no meu quarto delicadamente, tirando meus chinelos e tacando-os do lado da cama. Fui até a minha mochila e peguei as coisas para lavar meu cabelo, algo no qual ele estava precisando muito.
Entrei no chuveiro e tomei um banho demorado e cantante, como de costume. Demorei meia hora para terminar de me ensaboar e finalmente sair de baixo da água quente que eu tanto amava.
Enrolei uma toalha na cintura e a outra na cabeça, saindo do banheiro, quase escorregando no caminho (¬¬ novidade). Peguei minha bolsa novamente e com preguiça de tirar roupa por roupa, virei todas as peças na cama, sorrindo satisfeita do nível da minha preguiça.
- O que eu uso? – perguntei para mim mesma, mexendo nas poucas roupas que trouxe.
Eu sei. É aniversário de 75 anos de uma senhora doce e agradável, mas o que tem em demais em querer estar apresentável? Estou em uma fase, que ultimamente, moletons não vem me satisfazendo muito.
No meio do montinho de roupas, vi um pontinho amarelo se destacando. Mexi por ali e acabei descobrindo uma sacola de supermercado amarela. Franzi o cenho, tentando lembrar quando eu coloquei isso na mala, mas nada me veio à mente. Então, um pouco curiosa, desfiz o nó que a mantinha fechada. Dentro da sacola tinham algumas roupas e um papel totalmente amaçado por cima.
“Ok. Eu fui bisbilhotar suas coisas à noite. E eu não gostei n.a.d.a!! Preciso te levar para um banho de shopping, menina!!! URGENTE! Enfim, coloquei umas coisas minhas que talvez sejam úteis para algo!... Provavelmente estarei com saudades, você deve fazer falta sabia? Me liga!
Beijos, Els.Linda Que Você Ama”
Comecei a rir sozinha diante do bilhete. A minha amiga era dependente de álcool , só podia. Me lembrem de brigar, e agradecer, por ela ter mexido nas minhas coisas!
Tirei as roupas da sacola encontrando um short jeans meio desfiado; uma blusa preta, justa, de manga cumprida, com a estampa da torre Eiffel ; um vestido florido (o qual eu descartei na hora, por ser mais curto que a saia e de bônus, ser tomar que caia. Depois eu que preciso de banho de shopping). E por último, tirei uma... Ok. Agora é serio. Eleanor merece ir para a forca. Que tipo de amiga coloca um langeri na mala da outra? No comments. No comments. Irei ignorar essa segunda parte.
Coloquei o short e optei por colocar uma blusa minha. Coloquei um colar, penteei meus cabelos e fiquei feliz pelo meu resultado. Eu estava bem. [N/A: ignorem a bolsa, ok? Ok]
Desci as escadas, já disposta a ajudar com o que fosse preciso. Entrei na cozinha radiante e encontrei Trisha e Vovó Malik.
- Oh, Sophi! Você está linda! – disse vovó e eu sorri envergonhada.
- Obrigada... Posso ajudar em algo?
- Hum... Pode cuidar dos convidados? Eles vão chegar daqui a pouco e tenho certeza que seu jeito simpático os deixarão mais confortáveis! – sorri, ainda envergonhada.
- Pode ser, então!
- Uhul!! Minha festa de 75 vai ser supimpa!! – eu e Trisha rimos diante da animação de Elizabeth (e diante da gíria antiga usada). Era como uma menina de quinze anos tendo sua festa.
A campainha soou e eu pressenti que era a minha vez de fazer algo. Dei uma meia volta, e fui até a porta, girando a maçaneta com cuidado. Um monte de senhoras peruas apareceram na porta, sorrindo e batendo papo.
- Er... Oi! Sejam bem-vindas! – disse um pouco embraçada, já que a casa nem era minha.
- Aqui, amor! Pegue minha bolsa e meu casaco! Cuidado para não deixar ele cair no chão – tacou o casaco (e a bolsa) nos meus braços – é de pele de cobra!
- Coméquié? – aí que o casaco quase caiu.
Ela entrou, seguida das outras, que também jogaram suas coisas em cima de mim. E foi praticamente assim o restante das vezes que a campainha tocou. Fiquei absurdada com a quantidade de velhinhas peruas que entravam naquela casa, uma pior que a outra. O bom foi que as coisas foram amenizando e algumas pessoas mais jovens foram chegando.
Vovó Malik trabalhava como enfermeira em um hospital próximo daqui, então conhecia várias enfermeiras e médicas jovens, que traziam suas famílias e amigos, o que fez a festa, literalmente, lotar.
Assim que a campainha parou de tocar por dez minutos, imaginei que era o fim do meu “turno”. Decidi pegar algo para comer e depois achar alguém conhecido (Zayn) para que eu não ficasse tão deslocada.
- AQUI! Sophi!! – ouvi meu nome ser chamado bem quando coloquei uma coxinha na boca.
- Hum? – resmunguei, de boca cheia, virando meu rosto e encontrei Elizabeth e suas amigas peruas.
- Essa é a namorada do meu neto! – vovó Malik sorriu.
- É ela? – a senhora, a que eu reconheci ser a que jogou suas coisas em mim – Eu pensei que era a empregada! – quase engasguei com minha coxinha.
- Não. Está é a Sophia! – consegui engolir o salgado para abrir um sorriso – Eu não te falei que ela era bonita?
- Falou mesmo! Que bom que o Zainzinho arranjou alguém, né? Eu até estava pensando em arranjar um encontro com minha neta!
- Mas não é mais necessário! – vovó Malik sorriu.
- Ela estuda na mesma escola que ele, sabia? – a veia... Opa, quer dizer senhora, disse olhando para mim.
- Sério? – exclamei curiosa, tentando parecer simpática, por mais que não tenha ido com a cara dela – Quem é?... Vai ver eu conheço.
- O nome dela é Olivia! Um amor de pessoa!! Somos muito próximas! – dessa vez engasguei com minha saliva. Calma Sophi... Existem outras Olivias naquela escola – Olivia Peaton! – esquece – Seria tão emocionante, os dois nasceram aqui, certo? – ok. Essa veia tá de sacanagem comigo, certo? Dá pra perceber que ela não gostou nem um pouco de mim e a possiblidade de Olivia ter contado de uma loira que “roubou” seu namorado aumentavam minhas suspeitas.
- É... Mas todos nós sabemos que sua neta é meio chata e mimada... Zayn não gosta de meninas assim! – vovó Malik disse e tenho certeza que eu a vi piscando para mim. Eu amo essa senhora – Venha Sophi! Irei te apresentar para o clube de xadrez! – sorri em concordância e segui Elizabeth até outra rodinha.
Conversa vem, conversa vai e eu descobri que velhinhas viciadas em xadrez podem ser muito mais legais que um bando de líderes de torcida populares, fica a dica. Acabei me despedindo, ainda determinada de achar meu namorado (amo dizer/pensar nisso) no meio daquela gente.
Passei por um bocado de pessoas e finalmente encontrei Zayn conversando com umas pessoas. Aparentavam ter mais ou menos sua idade. Deveriam ser primos, ou filhos de funcionários e achei melhor não incomoda-lo, estava muito alegre e feliz para ser interrompido por mim.
Sua risada alta e gostosa se destacou entre os demais murmúrios e isso me fez sorrir. Ainda não tinha caído a ficha de que isso realmente estava acontecendo; De que aquele cara lindo, exuberante, sexy, maravilhoso a minha frente, era apenas meu e de mais ninguém. Se voltássemos alguns meses, e eu estivesse em uma festa e visse Zayn, provavelmente acharia que ele era muita areia pro meu caminhãozinho.
Durante outra gargalhada, ele olhou pro lado, me encontrando discretamente. Lancei um sorriso, dei meia volta e fui buscar um refrigerante. Peguei um copo de coca [N/A: NÃO! Vamos mudar porque eu não tomo coca há mais de três semanas e isso é tortura... de um jeito estranho, mas é! Mudando roteiro]... Peguei um guaraná (melhorou escritora?) [N/A: Não] ¬¬ peguei um suco (VAI FICAR ASSIM PORQUE EU NÃO QUERO ÁGUA) e andei até o lado de fora, sentido o ar preencher meus pulmões.
- Ai ai... – suspirei. Adorava começos de noites gostosas assim, com o clima agradável.
Fechei a porta e andei até o gramado, me deitando na grama totalmente verde. Aquele cheiro gotoso entupiu minhas narinas e eu me senti nas nuvens, preenchendo mais minha cabeça de uma estranha, e aconchegante, alegria.
Meus olhos se mantinham fechados quando outro odor adocicado de misturou com o cheiro excêntrico de grama. O barulho de folha sendo amaçada ecoou pelas minhas orelhas e eu não precisei fazer nada para saber quem era.
- Oi. – ele sussurrou, mostrando o quanto próximo estava de mim.
- Oi. – ri fraco, sem abrir os olhos.
- O que está fazendo?
- Relaxando.
- Hum... Posso relaxar com você?
- Pode.
- Ok... –... Um... Dois... Três... – Relaxar é chato – ri alto, abrindo meus olhos e virando a cabeça para o lado, fincando centímetros daquele rosto perfeito.
- Eu sabia que você ia estragar o clima! – zoei, torcendo o nariz.
- Mas eu continuo lindo! – respondeu dando de ombros e eu franzi o cenho – Ah, é meu novo plano de vida! Toda vez que alguém falar algo para me deixar sem graça, ou para me zoar, eu vou responder “Mas eu continuo lindo”, o que, em modéstia parte, é verdade.
- Você me anoja!
- Mas eu continuo lindo! – fez cara de cínico e eu caí na gargalhada – Viu?
- É um pouco eficiente... Mas só um pouco. – Zayn sorriu, concordando.
Ele parou seu olhar em mim, pousando seus olhos sobre os meus. Senti meu coração se prensar sobre meu peito e pensei que iria vomitar meus pulmões, por mais não-romântico que isso seja.
- Eu amo seus olhos, sabia? – Zayn declarou, e eu sorri abertamente.
- Não tanto quanto eu amo os seus. – respondi sem pensar, não me arrependendo depois.
Ficamos nos olhando por mais alguns minutos, sem dizer nada. Não era necessários falar algo ali, naquele instante. Nossos olhos transmitiam nossos pensamentos. Um podia ler a mente do outro, sem dificuldades.
Zayn abriu um sorriso e virou o corpo para o outro lado tateando a grama. Fiquei com cara de duvida, não entendendo nada.
- Zayn?
Ele se virou novamente, se ajeitando na mesma posição de antes.
- Me promete uma coisa? – ele perguntou, com os olhos transparecendo ansiedade e brilho.
- O quê? – perguntei, baixo, mas ainda confusa.
- Promete que nunca vai deixar de ser minha?
Meu cérebro congelou. Meu corpo congelou. Meus neurônios, meu coração, tudo tinha congelado. Um terremoto se passou por dentro de mim e uma vontade enorme de rir, chorar, gritar e sorrir se alojavam na minha garganta.
- Promete? – Zayn pegou minha mão repousada na grama e abriu-a com cuidado, colocando algo em minha palma.
Eu tinha me esquecido como se falava. Como abria a boca. A pergunta simplesmente me pegou de surpresa.
- Promete? – minha mão foi fechada, mas continuou envolvida com a sua.
Quando estava prestes a responder, a figura de Monique veio a minha cabeça. A figura de Derek veio à cabeça. A figura de Zayn decepcionado veio a minha cabeça. O embolo da minha garganta se mostrou maior, mas agora com angústia ocupando a maior parte.
- Sophi? – seus olhos começaram a se preocupar.
Zayn soltou minha mão e eu olhei para ela, abrindo-a em seguida. Um pedrinha de jardim, pequena e um pouco deformada estava nela. Sorri automaticamente. Ela era pequena, deformada. Mas eu entendi perfeitamente o que ela representava.
- E-eu prometo, Zayn! – olhei para seu rosto, iluminado e carregado de alívio.
Um sorriso involuntário apareceu no meu rosto e tentei deixar todas as angústias de lado. Me aproximei um pouco mais e juntei nossos lábios em um beijo perfeito. Um beijo marcante. O beijo que marcou um dia feliz, um beijo que marcou um dia de uma decisão.
Eu não iria perder Zayn. Monique nunca o tiraria de mim.





Oiiie minhoquinhas!
Senti sdds da minha barrinha divisória sexy <3
Então, eu consegui publicar!!! Yeeey!
Gostaram? Eu adorei escrever esse cap *-*, não
sei por que, mas adquiri um certo amor por ele <3
Muito obrigada pelos comentários 
my babes e eu vou continuar com novemsm! 
Eu esqueci de perguntar: vocês ouviram
 Just Can't Let Her Go?? (ou pelo menos oq saiu dela)
eu ameeeeeeei *-* tipo mttooo! 
Vocês tbm viram tca? Pelos comments eu vi que
sim e pois é... Nem foi tanta treta assim!
Mas foi legal! Os meninos estavam tão perfeitos <3
(e eu adoro o harry com chapéu, fica tão 
"sou Harry Sytles bitches, eu posso")
É só isso amorecossss, acho que amanha
não publico :( tenho prova de geografia pra
estudar!! Blhééé odeio geografia e odeio
provas!
(quem não odeia?)
Só isso lasanhetes (AMEI *-----*)
Malikisses & Paynekisses
Lo <3

10 comentários:

  1. Não sei se vc lembra de mim , mas okay. So a guria que uma vez foi te encher o saco no twitter pq ss, MDS continua logo ta mt perfeito . So dava eu berrando alto aq aaaaaaaaaaawn . Ook nao tem mais oq escrever então continua minhoca

    xoxo uma falsa hazel

    ResponderExcluir
  2. Lozita ! A barrinha sexy voltou Yeey \õ/
    Sim,eu gostei mto do cap,ficou mto fofo,eu lufei "Awn" Aqui *o*
    Cara, eu ouvi sim, Just Can't Let her Go eles tão fazendo musicas simplesmente perfeitas *---*
    Há,eu tbm vi o tca !
    o Harry rubou a cena com o chapéu u.u E o Louis com a barba ? PER-FECT !
    Eu tbm n gosto de geografia,a minha prof parece a loira do banheiro com cara de minhoca,e as vezes faz questão de me ferrar '-' (Masoq)
    Continua sua Linhete (Tendeu ? Liam com Lasanhetes...Linhete ? Não ? Ok..)
    Beijoos
    XxJuh

    ResponderExcluir
  3. Heeey Lozitaaaa, entao faz tempo que eu não comento aqui, mas é pq eu tava meio sem tempo e talz mas entao eu volteeeeeeei.
    Já ouvi Just Can't Let Her Go e já baixei ela tbm alsan ta perfeita.
    O Teen Choice nem foi tão bom assim, primeiro pq os meninos não deram um abraço, o Zayn ficou com a Perrie e eu nao shippo Zerrie, sorry. o Niall Liam e Louis ficaram no backstage e o Harry ficou com o Ed.. MAAAAS foi bom por um lado, tu viu o Harry fazendo TWERK? Eu comecei a berrar aqui em casa. (voltando pra fic)
    Ta perfeitooooo, eu to com medo de como o Zayn vai reagir quando ele descobrir q a Sophi é o irmao dela e talz :/ maaas ta perfeito como todas as suas fanfics e capitulos são :))) continuuaaaaaa

    xxCarol

    ResponderExcluir
  4. Continua isso ta perfeito *O*

    ResponderExcluir
  5. Como sempre esta divostico, nem sei se essa palavra existe, mas ta.
    Ansiosa pelo proximo cap, continua ogo :)

    ResponderExcluir
  6. Hey Lo -imagina a musica imagina a musica-
    "Meu cérebro congelou. Meu corpo congelou. Meus neurônios, meu coração, tudo tinha congelado. Um terremoto se passou por dentro de mim e uma vontade enorme de rir, chorar, gritar e sorrir se alojavam na minha garganta." Eu fiquei tipo assim Lo, tipo assim
    Não ouvi muito Just Can't Let Her Go só a "demo" Lo me passa o link dela? faça uma caridade.
    SOU LASANHETE PEOPLE!
    bjoooos de Canela

    ResponderExcluir
  7. Muito bom! Continua!

    ResponderExcluir
  8. Oiii Lo ^-^ (eu amo essas carinhas) ai essa semana tá me dando muita preguiça, acho que por está quente demais. (O que estar quente tem haver com preguiça?) com 258852555855 pessoas no mundo a vovó Malik é amiga e mora perto da vó da Olívia. Eu simplesmente pirei,viciei em Just Can't Let Her Go eles são tão perfeitos. Eu vi o TCA eu achei os meninos meios distantes uns dos outros, talves foi só impressão. E aquele Twerk eu fui imitar o Harry e descobri que ele dá de zero em mim na hora de rebolar.
    Eu não gosto de geografia, só serve pra lembrar que eu estou longe dos minos.

    ResponderExcluir
  9. Você recebeu um selinho http://imagines-directioner-hot.blogspot.com.br/p/selinhos.html

    ResponderExcluir