5/29/2014

Criminal Capítulo 2- Come Back


Harry Styles em: sou gay e demosntro.


3 anos depois. Nova Iorque, Estados Unidos.

Clara’s POV

Quando entrei no Brooklyn um vento gelado passou pelo meu rosto, fazendo-me apertar o casaco velho de lá sobre meu corpo. Estava até que um dia quente em Nova Iorque, considerando que fazia -3° e que, geralmente, chegava a -10°.
Caminhei pelas calçadas molhadas até avistar o pequeno prédio cinza no fim da rua. Passei pela porta de alumínio velha e subi quatro lances de escada, onde cheguei em uma porta velha e mofada de madeira.  O número “29” grudado estava sendo segurado por um parafuso enferrujado que não aguentaria mais duas semanas. Destranquei a porta e entrei.
– Lar doce lar.
Joguei as chaves no sofázinho perto da porta e andei até a geladeira, pegando uma garrafa com água pela metade. Peguei o copo que estava secando em cima da pia e enchi-o até a boca, levando o líquido para meus lábios e refrescando minha garganta. Chanel passou pelos meus pés no mesmo instante, esfregando os pelos macios e brancos na minha calça preta.
– Sai, Chanel! Vai encher minha calça de pelos! – reclamei.
A gatinha miou nervosa e saiu de perto, pulando na pia e depois para cima do sofá, se encostando-se à almofada. Bufei, largando o copo na pia, e fui até ela.
– Meu Deus, gata, será que você não pode ir para o seu cafof...
Interrompi minhas próprias palavras a observar meu tapete. Os pelinhos marrons, misturado com alguns brancos de Chanel, estavam levemente amaçados, como se alguém pesado tivesse pisado ali. Eram marcas largas e compridas, um sapato de número 42. E eu não calçava 42. Reparei na almofada em que Chanel estava deitada e vi que sua lateral estava afundada. Alguém havia sentado naquele sofá.
Olhei para a cortina. Abaixo dos longos tecidos brancos havia um par de butinas masculinas pretas. Os cadarços estavam desamarrados e a barra da calça social preta com listras estava sendo amaçada – Um calafrio percorreu minha espinha e eu andei com passos largos até a janela, onde puxei o tecido.
– O que está fazendo aqui? – perguntei de vagar assim que Alfred apareceu na minha frente.
Ele abriu um sorriso, passando as mãos pela barba mal feita.
– Clara! Há quanto tempo!
– Eu já perguntei uma vez. Eu não vou repetir. – disse seca, cruzando meus braços.
– Como soube que eu estava aqui? – ele perguntou, arrumando o terno e andando até o sofá.
– Dá próxima vez que invadir a casa de alguém, tente não sentar no sofá! – sorri cínica e caminhei até a porta, abrindo-a – Foi ótimo te ver, agora saía!
– Tinha me esquecido que você repara nos mínimos detalhes! Sua especialidade! – Alfred pegou Chanel e se sentou com ela no seu colo – Amei sua gatinha! Um amor de pessoa... Quer dizer, animal.
– Vai embora! – apontei para a saída – O que está fazendo na minha casa?
– Sabe como é, né? – disse enquanto pegava o controle e ligava a televisão – Olha... Você tem canais HD!
- Alfred! – falei com mais força, demonstrando minha impaciência.–Como me encontrou?
–Querida... Rastreamento de última linha, esqueceu?
–O quê?.... Não! Não esqueci! AGORA, VAI EMBORA!–disse brava, travando meus pés no chão para não pular em cima dele.
Alfred pareceu perceber. Ele suspirou pesaroso e tirou a gata do seu colo. Levantou seu palitó e pegou do seu bolso interno um envelope branco médio. Jogou-o na mesa.
– Precisamos da sua ajuda, Clara.
Observei a cena com cautela. Fechei a porta com força e fui até a mesa, pegando o envelope em mãos.
– O que é isso?
– Uma missão.
Quase me engasguei com aquelas palavras. Minhas mãos se fecharam ao redor do papel, amassando-o. Taquei a bolinha com força no meu ex-parceiro. Como ele tinha coragem de aparecer com isso?
– Acho que você pegou a pessoa errada. Eu não me envolvo mais com isso.
– Você tem apenas 20 anos, pare de falar como se tivesse 60!
– Mas trabalhei como se tivesse! – falei nervosa – Vai embora, por favor.
– Você não pode deixar o passado de assombrar!
– Alfred, por favor. Eu não estou interessada.
– Clara, para de falar comigo como se eu fosse um desconhecido, por favor! Sou quase como seu pai, mocinha! Tenha respeito por mim!
Fechei meus olhos e passei a mão pelo rosto. Senti um pingo de remorso a ouvir aquelas palavras, mas não permiti demostrar isso, apenas me sentei ao seu lado e fiquei encarando minhas mãos entrelaçadas em cima de minha barriga.
– Recebemos essa carta essa semana – ele quebrou o silêncio, desamassando o envelope – Um cara quer que assassinamos alguém e ele vai pagar um preço bem alto.
– E por que veio me procurar?
– Porque ele disse que quer que você cometa esse assassinato.
Levei meus olhos para o rosto de Alfred. Franzi meu cenho em dúvida, negando a cabeça freneticamente.
– Isso é impossível. Eu não trabalho faz três anos!
– Mas pelo jeito ele te conhece de antigamente.
– E quanto ele vai pagar?
– Mais de 2 bilhões de dólares. – me engasguei novamente. Dois bilhões de dólares?
– Isso é sério?
– Nunca falei tão sério na minha vida! Clara, isso vai nos dar muita grana! E, qual é? Você é especialista... Consegue fazer isso fácil!
– O que ganho se fizer?
– Metade da grana envolvida, Clara.
Ou seja, seria muita grana.
Mordi meu lábio inferior, coçando meus cabelos em seguida. Não era como se eu tivesse super interessada em aceitar, mas eu preferia cem por cento voltar a meu trabalho antigo do que ser garçonete da lanchonete da esquina.
– Quem é a vítima?
Alfred abriu um sorriso amplo, seguido de sua típica risada. Gostava de chama-la de risada maníaca, porque, realmente, ele parecia um louco quando a soltava.
– Já deve ter ouvido falar de uma banda britânica chamada One Direction! – ele tirou outro envelope do terno. Ele abriu o papel e tirou dele várias fotos coloridas.
– Já devo ter ouvido – respondi, pegando as fotos e observando cada detalhe.
– Nosso cliente misterioso quer que você mate um dos integrantes. Zayn Malik, e eu não faço a mínima ideia de qual seja, essa tarefa é com você.
– Assassinar um famoso? Posso pegar uma vida inteira na cadeia se me pegarem – falei e sorri com aquilo. Sempre gostei da sensação de perigo que tudo aquilo me proporcionava.
– Eu sei... Mas então, aceita?
Olhei para Alfred e depois para Chanel miando no chão. Eu odiava aquela gata, por que é que eu tinha ela mesmo?
– Tá. Eu aceito! – Alfred pareceu querer dar pulinhos de alegria, mas se conteve dando apenas um sorriso. – Mas eu farei rápido e quero toda a grana prometida!
– Fechado! Sua passagem e passaporte para Inglaterra já foram providenciados! – ele falou, se levantando e indo até a porta.
– Como sabia que eu ia aceitar? – perguntei e ele se virou pra mim com um sorriso amigável.
– Eu te conheço, Clarinha! – falou, e eu deixei escapar um sorriso fraco, sem mostrar meus dentes – A proposito – disse abrindo a porta – Eu prefiro você loira – apontou para meus cabelos tingidos de castanho escuro – Te vejo em Londres, querida! – e dito isso, ele saiu pela porta, fechando-a delicadamente.
Chanel miou em reprovação.
– Bem, Chanel. Pelo jeito iremos viajar.
Me levantei do sofá e peguei minha bolsa no balcão. Eu precisava comprar tinta pro cabelo.



OEEEEEEEEE MINHOQUINHAAAS!
Tudooo booom? 
Gostaram? Sim? Não??
Avisando que os garotos apareceram no quarto cap... E
se vcs estão com alguma dúvida em relação a história, 
podem perguntar nos comentário OU esperarem até 
q elas sejam esclarecidas nos capítulos
que virão.
BOOOOOOOOM, primeiramente gostaria de agradecer
aos comentários do cap anterior, e respondendo alguns:
- Não, minhas irmãs não postam nesse blog.
- A Elissa tá no último ano gnt, ta treinando
pro vestibular eeh dificil pra ela escrever e postar!
Juro pra vcs que a espera valê-ra a pena (posso dizer
pq sei todaaaaaaaa a história u.u).
- A fic é com o Zayn Malikoo.
Segundamente (?), quero deixar avisado que
postarei nas SEGUNDAS e QUINTAS. Repetindo:
postarei nas SEGUNDAS e QUINTAS. 
É a forma que eu consegui me organizar
e postar dois caps por semana, pra q vcs
não fiquem sem, ok?
Obggg a todaaaas vcs que me mandaram parabéns
ontem pelo tt <333
Só isso amoresssss!
Malikisses & Paynekisses
Lo <3

5 comentários:

  1. Eu sou sua fã de carteirinha então sou suspeita pra dizer MAS meu Deus eu ja to amando essa fic e nem começou direito *---*

    ResponderExcluir
  2. Elo!!!!!! qual é o seu twitter???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. PS: to amando a fic :D COntinue logo :3

      Excluir
  3. Oh deuses, Elo!! Vc TEM QUE CONTINUAR!!!!
    Elena.

    ResponderExcluir
  4. Oooiiii é a primeira vez que estou comentando e gostaria de dizer que você é minha inspiração para escrever minhas história(http://www.s2mundodehistorias.blogspot.com.br),até fiz um blog e gostaria de dizer que temos vagas para quem quiser entrar,só tem algumas coisas porque o blog é novo.
    Continuaaaaaaaaaa
    Amo todas as suas fanfics!!!!
    Bjksss
    <3

    ResponderExcluir